ATP, WTA e ITF confirmam retorno, e circuito mundial volta em agosto

ATP, WTA e ITF confirmam retorno, e circuito mundial volta em agosto
17 de junho de 2020 Raquete na Mão
Em Vamos Falar de Tênis

(Foto: Divulgação Twitter/WTA)

O circuito mundial do tênis parou em meados de março, junto com a maioria das competições esportivas. A princípio, uma suspensão por seis semanas, que foi se alongando. Inclusive, com as dificuldades de locomoção previstas para durarem um bom tempo, parecia que a modalidade não voltaria em 2020, como chegamos a escrever no blog. Mas ele tem data para retornar.

Nesta semana, a Associação dos EUA, endossada pelas autoridades de Nova York, confirmou a realização do US Open a partir de 31 de agosto. Antes disso, o evento de Cincinnati também será disputado na cidade do Slam norte-americano, mudança feita para diminuir deslocamentos. E antes disso, a volta será com o ATP 500 de Washington, disputado a partir de 14 de agosto. A WTA retorna até antes, em 3 de agosto, com evento em Palermo, na Itália.

Sequência de torneios proposta pela ATP para o retorno…

Como vem acontecendo em outros eventos esportivos, as partidas ocorrerão sem a presença de público e com uma série de recomendações sobre distanciamento nos vestiários, uso de máscaras nas dependências do complexo, com exceção dos tenistas em momentos de treino e jogo, etc. Tudo dentro do novo padrão do esporte.

A pergunta que surge é: já é hora de retornar? O tênis é uma modalidade global, com milhares de pessoas viajando de uma cidade para outra, semana após semana. Por isso, não é tão simples garantir a segurança como em uma competição nacional de futebol, por exemplo.

…E o novo calendário da WTA

De qualquer forma, o fato é que a maior parte do mundo já começa a retomar as atividades. A Europa controla melhor o vírus e, com isso, os campeonatos por lá vão voltando. E, nos EUA, local que marca a volta do tênis, as ligas de basquete (NBA e WNBA) e a MLS (liga de futebol) também já têm previsão de retorno.

Sendo assim, acho justo que o tênis também busque caminhos, desde que cumprindo todas as exigências para que os envolvidos tenham segurança. Além disso, é preciso criar formatos, em termos de ranking, para que aqueles jogadores que não se sintam confortáveis para voltar a jogar, tenham seu direito preservado e não sejam tão prejudicados, pelo menos até o fim de 2020.

Outro detalhe importante é que os organizadores não tenham medo de, em caso de segunda onda ou perda de controle em determinados países, dar passos atrás, cancelar o retorno e preservar a integridade física de todos.

Seguindo estes parâmetros básicos de respeito ao ser humano, acima de tudo, não vejo problema no fato de o tênis buscar formas de voltar, como os esportes têm feito. Resta torcer para que tudo dê certo, para que a saúde de todos seja preservada e, assim, possamos ter esta maravilhosa modalidade de volta.

Gostou deste conteúdo? Nós do Raquete Na Mão estamos também nas redes sociais, com uma série de conteúdos para vocês!

Twitter: https://twitter.com/RaqueteNaMaoBR

Instagram: https://www.instagram.com/raquetenamao/

YouTube: https://www.youtube.com/channel/UCu_Z7-xQ0ZOJLWqC1E5tvzg

Spotify: https://open.spotify.com/show/6uk1J2DuAijFXfXPDYbR6T

Comentários (0)

Deixe um comentário